As marcas de um crente cheio do Espírito Santo (At 6)

1. Um crente cheio do Espírito contribui para o crescimento da Igreja.

O Espírito movendo e capacitando cada membro dessa Igreja, fez com que ela crescesse.

V.1 Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos.
V.7Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé.

2. Um crente cheio do Espírito discerne as demandas relacionadas ao cuidado com as pessoas (sensibilidade social e espiritual). E nesse cuidado ninguém é discriminado.


(1) Com o crescimento dessa Igreja presidida pelo Espírito Santo, cresceu também a demanda no ministério da ação social (o cuidado com as pessoas). Nesse cuidado houve preocupação com a discriminação das viúvas não judias.

V.1 Houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária.

(2) Com o crescimento os Apóstolos também perceberam que estavam acumulando funções em prejuízo do ministério da Palavra e da oração. Por isso, logo as tarefas foram distribuídas de acordo com o dom de cada um.


V.2Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas.

(3) Uma pessoa cheia do Espírito Santo, que manifesta seu fruto, não consegue ficar indiferente ao sofrimento humano, ela já saiu do conceito de pecado de comissão (o mal que se comete) e já está no nível de discernir o pecado de omissão (o bem que se omite fazer). Tg 4:17; 1Jo 3:17-18


(4) O cuidado com os necessitados é uma semeadura que fazemos no Espírito. Gl 6:8-10

3aos quais encarregaremos deste serviço (social);


(5) Assim fizeram e foi preservada a proeminência da Palavra, da oração, sem que fosse esquecida a dimensão do serviço aos necessitados.


V.4 e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra.

3. Um crente cheio do Espírito Santo desenvolve caráter e carisma de forma simultânea.


(1) Essa Igreja aqui descrita é resultado daquela experiência em Pentecostes, quando Jesus ordenou que permanecessem em Jerusalém para que do alto fossem revestidos de poder, para que recebessem a capacitação para o testemunho do evangelho. At 1:4,8


(2) Esse revestimento tanto traria consigo os dons (carisma), como transformaria a vida da cada um deles (caráter). Gl 5:22-23


(3) Por isso é que no seio dessa Igreja dirigida pelo Espírito Santo havia pessoas de boa reputação (caráter), cheios do Espírito e de sabedoria, e de fé (carisma).


V.3 Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço;

V.5 O parecer agradou a toda a comunidade; e elegeram Estevão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia.

V.8 Estevão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo (carisma)

(4) Se a boa reputação estava associada às transformações produzidas pelo Espírito no caráter, os prodígios e sinais eram resultado do carisma espiritual produzido pelo Espírito Santo na vida deles.

Todos nós somos instrumentos de Deus, habitados por esse Espírito de poder, que pode nos fazer caminhar com essa vida marcada pelo extraordinário e pela sobrenaturalidade de Deus, abençoando pessoas.


(5) O caráter nos concede autoridade no mundo espiritual. Por isso Paulo dizia eu ando com minha consciência tranquila diante de Deus e dos homens. E o carisma do Espírito Santo, autentica nossa mensagem e nos autoriza como mensageiros. Jo 3:2


(6) Por isso é que pessoas cheias do Espírito Santo são usadas por Deus para curar, para libertar, para profetizar, para ensinar, para socorrer os necessitados, para aconselhar com sabedoria, para discernir o mundo espiritual, em fim, para realizar coisas extraordinárias.


5. Um crente cheio do Espírito Santo enfrenta as resistências do mundo espiritual com sabedoria, coragem, intrepidez e ousadia.


(1) Era muito natural que uma Igreja avançando na direção e no poder do Espírito Santo, encontrasse resistência por parte daqueles que estavam envolvidos com uma religiosidade mórbida, inoperante.


V.9 Levantaram-se, porém, alguns dos que eram da sinagoga chamada dos Libertos, dos cireneus, dos alexandrinos e dos da Cilícia e Ásia, e discutiam com Estevão;

(2) No entanto, o mesmo Espírito que trabalhou o caráter, que concedeu o carisma, que preservou a proeminência da palavra e da oração, bem como a dimensão do serviço, do atendimento aos necessitados, agora está concedendo sabedoria diante das perseguições. Jo 16:13; 1 Jo 2:27


V.10 e não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava.

(3) Não resistindo à verdade e a sabedoria que estavam sobre Estevão, mentiram a respeito dele, com o propósito de tirá-lo de circulação. V11-14


(4) Todavia não puderam deixar de admitir a “graça” de Deus sobre a vida dele.


V.15 Todos os que estavam assentados no Sinédrio, fitando os olhos em Estêvão, viram o seu rosto como se fosse rosto de anjo.

(5) Depois da pregação comprometida com a verdade do evangelho, feita com poder e ousadia confrontando os religiosos de então, eles se encheram de fúria conspirando sua morte. At 7:55,57

Alguns comentaristas dizem que este Saulo, que presenciara todo esse martírio, recebeu inspiração para seu ministério radical e relevante, como apóstolo Paulo.


(7) Cheio do Espírito, arrebatado por essa visão celestial, Estevão não viu algozes, pedras, dor, sofrimento. Ele simplesmente viu a glória de Deus em meio aquilo tudo. Ele tirou os olhos da circunstancia, que dava conta da sua morte iminente, e como um mártir de Deus, e levantou os olhos para a glória que o aguardava.


V.55 Mas Estevão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita, (56) e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus.

(8) Quando estamos cheios do Espírito Santo ficamos meio que anestesiados, somos visitados por um suprimento de graça. O amor de Deus é derramado em nosso coração de uma maneira tal, que sentimentos divinos invadem nosso coração, inclusive o mesmo que tomou conta de Jesus diante dos seus algozes.

“Pai perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”


V.59 E apedrejavam Estevão, que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! 60 Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado! Com estas palavras, adormeceu.

Aplicação: Vamos anelar e buscar uma vida cheia do Espírito Santo.


(1) Porque cheios do Espírito Santo, receberemos de Deus a capacitação e a direção para o exercício do nosso ministério pessoal, e dessa maneira ninguém acumulará funções ficando sobrecarregado. Neste ano, tire um tempo para orar pedindo a Deus uma direção para o seu ministério. Se cada um der sua contribuição no corpo, todos serão supridos a contento.


(2) Porque cheios do Espírito Santo, estaremos mais capacitados a manter nossa integridade diante de Deus, numa vida de santidade, e nossa reputação diante dos homens. E nosso testemunho aos novos na fé, aos familiares e em nosso contexto imediato será uma bênção.


(3) Porque cheios do Espírito Santo, nossa percepção ao sofrimento humano aumentará. O evangelho não tem nada a ver com uma vida auto-centrada, egoísta, e insensível. O espírito do evangelho vem envolto a muito amor, a muita graça, a muita misericórdia, a muita solidariedade.

Então comece a responder aos estímulos do Espírito Santo ao perceber o carente, o necessitado, o sofredor, o perdido, o oprimido, o desesperado, o escravizado, que estão às vezes tão pertinho de você. Diga apenas, Espírito confiando na tua capacitação eu quero dizer: eis me aqui.


(4) Porque cheios do Espírito santo, reconhecendo sua autoridade em nossa vida, dando-lhe vez e voz dentro de nós, seremos transformados em nosso caráter, bem como, capacitados sobrenaturalmente para os desafios que são maiores que nós. (carisma)


(5) E se em razão da nossa relevância por causa da direção do Espírito Santo, atrairmos perseguições de qualquer ordem, continuemos rendidos ao Espírito, porque dele virá a sabedoria necessária, tanto para fazermos apologia de todo conselho de Deus, quanto para o enfrentamento dessas oposições, sem partirmos para o justicismo que troveja juízo sobre o mundo, sem misericórdia.

“pai perdoa-lhes eles não sabem o que fazem”

“senhor não lhes impute este pecado”


(6) Vamos fazer desse ano, um ano de busca de Enchimento do Espírito Santo.

Vamos orar por isso, vamos jejuar por isso e por certo não nos faltará:


O bom ensino da Palavra; o espírito de intercessão; o cuidado com os necessitados; a distribuição de tarefas; integridade diante de Deus; a boa reputação diante dos homens; caráter (nossa construção por dentro) e carisma (nossa ação abençoadora para fora); sabedoria para a defesa da fé cristã; e a visão da glória como fator motivacional para que a nossa peregrinação na terra seja feita com coragem, intrepidez e ousadia diante das oposições.

432 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O plano divino

INTRODUÇÃO Deus descansou no sétimo dia. A sua última criação foi o homem. Ele preparou toda a criação para receber o homem. E você que é nova criatura em Cristo Jesus, Deus preparou toda uma nova vid

IGREJA
BATISTA
   AGAPE

Rua Doze de Setembro, 342

Vila Guilherme

São Paulo - SP​

Tel: (11) 2905-2076
 

  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube